Drywall: a evolução do gesso com mínima sujeira e máxima rapidez e versatilidade em projetos arrojados.

Adrimar Construtora 26 de julho de 2017
0 pessoas gostaram desse post

Não faz muito tempo que só mencionar a instalação de gesso já causava arrepios em qualquer proprietário em fase de planejamento de reforma em seu imóvel, por conta da sujeira e da dificuldade de encontrar uma mão de obra confiável e minimamente limpa e organizada. Era praticamente obrigatório realizar este serviço antes mesmo da instalação do piso, pois o transtorno com a bagunça e a poeira era impeditivo em uma casa já mobiliada.

Mas como o mercado de arquitetura e construção civil evolui a todo instante, o segmento do gesso também se rendeu a uma solução mais limpa, rápida e eficiente, com uma gama superior de aplicações que vão muito além dos tradicionais forros, sancas e molduras de gesso em tetos. No Brasil, o Drywall já está no mercado há 15 anos, mas se tornou popular apenas nos últimos 3, durante o período de maior aquecimento do setor de construção civil.

O gesso comum é comercializado em chapas simples, compostas pelo material puro prensado, sem grande resistência mecânica e à umidade, e necessita ser alinhado e plumado, portanto, com mão de obra mais trabalhosa e resultado mais demorado (7 dias em média é o tempo total de secagem).

O drywall, ou gesso acartonado, consiste em chapas com miolo recheado por gesso aditivado, revestidas por papel cartão em ambas as faces (daí o nome de gesso acartonado), conferindo maior resistência mecânica, rapidez (sua secagem demora  em média 1 dia) e limpeza na instalação (praticamente seca, fixada por perfil, montante, parafusos, fita, etc.). Utilizadas em painéis simples ou duplos, com espessuras variadas, além da aplicação convencional do gesso comum, em decoração de tetos, também podem formar paredes, divisórias, painéis, nichos e estantes que substituem a alvenaria em projetos arrojados, com sua versatilidade que permite a realização de recortes, desníveis e curvas.

Além da resistência mecânica já existente pela composição e forma de instalação (suporta 10 Kg por m2), os painéis de drywall podem ser reforçados por perfis metálicos adicionais em sua montagem (podendo chegar a suportar até 60 kg por m2).  É um sistema de construção seca, fácil de montar e desmontar, seu uso proporciona ganho de área útil devido a sua espessura fina, e também é mais inteligente na hora de se fazer instalações elétricas e hidráulicas, pois facilita a execução de rasgos, recortes e remendos.

A moderna tecnologia do drywall ainda permite isolamento acústico e conforto térmico. Apesar da fina espessura, a proteção sonora é, no mínimo, igual às paredes convencionais. Dependendo das especificações, aliado a acessórios específicos para este fim (poliuretano expandido, mantas de lã) pode tornar-se muito superior. Com relação ao conforto térmico, as propriedades das chapas de gesso contribuem para regular e estabilizar a temperatura. Mais fresco no verão e mais aquecido no inverno.

Outra vantagem importante é a característica ecologicamente correta e sustentável do material, pois seus componentes são recicláveis e suas matérias-primas não causam descartes tóxicos. Além disso, seu transporte é mais econômico devido a sua leveza.

Existem 3 tipos de placas, diferenciadas por suas cores e utilizações. As brancas (ST), usadas em forros e paredes de ambientes secos, são as mais comuns. As verdes (RU), indicadas para aplicação em áreas úmidas como cozinhas, banheiros e lavanderias, são compostas por silicone e aditivos fungicidas. As rosas (RF), por apresentar fibra de vidro em sua composição, são resistentes ao fogo, e por isso recomendadas para áreas com lareira e bancadas de cooktop.

Mas, como todo benefício tem um custo, o material, apesar de ter ganhando espaço, ainda é mais caro do que o gesso convencional (em média 20 a 30%, podendo chegar a 50% a mais). Encontrar mão de obra especializada também ainda é um fator complicador, porém, como hoje em dia grande parte dos prestadores de serviços neste segmento está abandonando definitivamente o método mais trabalhoso e demorado, substituindo-o pela resistência, praticidade, limpeza, versatilidade e rapidez do drywall, a tendência é que a busca por qualificação e a concorrência aumentem, e os preços por metro quadrado caiam. Se comparado com a alvenaria, seu custo é inferior. Os preços variam, dependendo da metragem e da localização da obra, mas comparativamente, em São Paulo, Capital, o valor do metro quadrado do drywall pode chegar a R$ 80,00, contra R$ 100,00 da mesma metragem em alvenaria. Esta diferença de preço se dá em grande parte pelo custo da mão de obra.

Conhecendo suas características, vemos que com o drywall fica mais simples pensar em deixar sua casa mais charmosa e funcional. Mesmo já morando no imóvel, devido à limpeza e praticidade deste sistema cada vez mais utilizado em projetos de decoração, é possível fazer aquela reforma que você sempre sonhou mas achava que teria de se mudar para realizar, e o melhor, a um custo viável e em pouco tempo!

Veja a seguir alguns projetos que exploram o uso do drywall em diversas possibilidades.

  • 0
  • 2198
Adrimar Construtora

A Adrimar está presente há de 30 anos no Litoral Sul de São Paulo. Suas realizações e diferenciais fazem com que seja reconhecida e consolidada por seus empreendimentos e serviços de alto padrão.