Sonho realizado, chaves na mão! E agora?

Adrimar Construtora 1 de dezembro de 2017
0 pessoas gostaram desse post

Para quem compra um apartamento na planta, na fase de lançamento ou construção, a maior realização é quando finalmente se recebe a notícia de que as chaves serão entregues. É certo que existe um prazo previsto em contrato para este acontecimento, informado desde a compra, e muitos dos proprietários têm tempo para se organizar com alguma antecedência para a chegada do tão almejado momento. Mas imprevistos na obra podem acontecer, os prazos podem mudar e não deixa de ser uma espera que envolve grande ansiedade.

É cada vez mais comum o gosto e interesse das pessoas que adquirem um imóvel por participar ativamente da criação e execução do projeto, e muitas conseguem antecipar um planejamento do que pretendem realizar no imóvel, da distribuição de móveis e acessórios desde a planta, e podem até negociar com antecedência grande parte dos itens, como revestimentos, móveis planejados, iluminação e decoração, por exemplo, Mas só é possível iniciar a produção propriamente dita depois que se recebe as chaves, pois mesmo com os incríveis programas de projetos em 3D que grande parte das empresas deste segmento possuem para facilitar o cálculo de materiais e custos, para uma produção e montagem precisas é necessária a conferência de medidas, vãos e detalhes técnicos no local.

Mão de obra de acabamento e instalação (gesso, pintura,  iluminação, hidráulica e elétrica, colocação de pisos, revestimentos e acessórios, etc) também pode ser calculada e contratada  com alguma antecipação, mas como realizar uma obra sem ter acesso ao imóvel?

Idéias e projetos em mente, é hora de colocar em prática. São muitas as decisões a serem tomadas, e requerem algum conhecimento técnico para assegurar um fim bem sucedido. Mas existem alguns truques para não transformar este tão sonhado momento em um verdadeiro pesadelo!  A seguir, apresentamos dicas espertas para tornar a transição entre um imóvel novo e cru em um verdadeiro e habitável lar mais tranquila e sem traumas.

Devo contratar um arquiteto ou designer de interiores?

Apartamentos comprados na planta são entregues na grande maioria das vezes com as áreas secas sem revestimentos (no contra piso), e em alguns casos, quando o proprietário não se identifica com os modelos de acabamento oferecidos pela construtora em áreas molhadas (pisos, revestimentos, louças e metais), existe a possibilidade de solicitar que não sejam instalados, para tornar mais prático o upgrade de estilo e qualidade planejado pelo dono do imóvel.

Se você está nesta situação e não tem nenhuma familiaridade com obras, arquitetura e decoração, escolhas e decisões que envolvem aproveitamento de espaço, adequação de materiais para o uso, estética dos ambientes, economia nas negociações e a busca do melhor custo benefício terão de ser tomadas, e auxílio técnico será de grande ajuda para assegurar o melhor resultado dentro de suas expectativas e necessidades.

Outro ponto fundamental para evitar equívocos na instalação, mau uso ou desperdício de material e atrasos no cronograma é o acompanhamento físico da obra. Se você não é um profissional da área, ou não tem tempo disponível para realizar esta tarefa, a presença de um profissional de confiança será fundamental para supervisionar e coordenar a equipe de execução da obra.

Por fim, importante ter em mente que a arquitetura compõe o pano de fundo sobre o qual móveis, objetos e acessórios irão conviver. Por isso, precisa ser bem orquestrada a fim de combinar diferentes estilos de decoração e evitar arrependimentos futuros.

Como escolher um profissional de arquitetura / design de interiores?

Pesquise em mídias e veículos especializados, projetos com os quais se identifique, de acordo com seu estilo e preferências, e procure o profissional que já criou e executou outros projetos que são a sua cara. Entre em contato, converse sobre seus gostos, desejos e necessidades, e solicite a ele um projeto de interiores que defina a distribuição do mobiliário e dos equipamentos elétricos / eletrônicos. Isso será crucial para avaliar as localizações e quantidades de pontos de elétrica e hidráulica, ou se será necessária alguma intervenção.

Forro de gesso: sim ou não?

Como o serviço faz muita sujeira, é ideal que seja o primeiro. O recurso dá liberdade ao projeto de iluminação e incrementa o visual do ambiente, mas rouba 15 cm do pé-direito. Se este pé direito não for suficiente para ficar com, no mínimo, 2,40 m de altura após esta perda, é melhor pensar em outras alternativas de acessórios de iluminação, elétrica e decoração para utilizar em seu projeto.

O segredo do sucesso em revestimentos:

Confira a altura do contrapiso antes de escolher o revestimento. O piso eleito precisa ter espessura compatível com o vão existente. Há desde laminados de 10 mm até assoalhos de 2,5 cm.

Marcenaria Planejada mas nem sempre sob medida

Um projeto de marcenaria faz toda a diferença para quem quer deixar tudo em seu devido lugar. O aproveitamento de espaços nos ambientes pode ser potencializado ao máximo com a cuidadosa escolha de móveis que sirvam cada cantinho de cozinha, sala ou quarto. Ter onde guardar suas coisas após a mudança dá a dimensão da importância de planejar a produção de armários e estantes. Avalie se você prefere móveis sob medida ou modulados. “A questão é que nem sempre os modulados se encaixam bem no espaço disponível”, pondera o arquiteto Marco do Carmo, sócio de Alberto Lahóz, que sempre opta por trabalhar com marceneiros autônomos. Mas isso não é consenso entre os profissionais. Há quem dê preferência à garantia e à qualidade das empresas de móveis planejados. Se o dinheiro não der para executar toda a marcenaria de uma vez, uma dica de Roberto Negrete é pensar no que, para você, será mais incômodo manter em caixas após a mudança. “Se forem panelas, faça primeiro o armário da cozinha. Se forem roupas, priorize o do quarto”. E a marcenaria vai além do armazenamento e oferece outras soluções para ganhar centímetros preciosos na divisão dos espaços, como portas de correr e fundos de armário que substituem paredes.

Vale a pena trocar acabamentos e acessórios?

a) Metais: Verifique os metais de cozinha e banheiros. Se as peças entregues pela construtora não agradam, um truque para economizar tempo, mão de obra e dinheiro é manter registros neutros e só trocar a torneira da pia, por exemplo, por uma mais vistosa.

b) Pisos e Revestimentos: As construtoras costumam entregar a área social dos apartamentos novos no contrapiso e é importante revestí-la com um piso que além de durável, valorize o ambiente. Pesquise referências, visite showrooms e coloque tudo na ponta do lápis. Enquanto a madeira e o mármore são opções mais nobres (e mais caras), é possível ter ótimos efeitos a com custos mais reduzidos, com materiais como porcelanato, tecnocimento, placas cimentícias e laminado. Além do piso, lembre-se que o rodapé é necessário para arrematar o acabamento, disfarçar imperfeições e contribuir para o visual.

O arquiteto Maicon Antoniolli aconselha a opção por materiais neutros, que dialoguem entre si sem interferir na decoração, que é mutável de acordo com o tempo. O mercado disponibiliza bons e belos revestimentos, mas é consenso entre os profissionais que o melhor é optar por poucos deles e usá-los de modo coeso em todo o projeto, para manter a unidade visual. Não é agradável quando parece que você está em outra casa cada vez que vai de um ambiente ao outro.

Sempre, ao comprar, verifique o memorial descritivo:

Esta é uma dica importante desde a compra. Os acabamentos que serão entregues instalados pela construtora no imóvel são relacionados em um memorial descritivo. Se ao ler o documento você perceber que eles não são de seu agrado (o desejo de repaginar cozinhas e banheiros é mais comum do que se imagina), pode solicitar que a colocação não seja feita, evitando o trabalho e o desperdício de remover um revestimento novo. O mesmo pode acontecer em relação aos metais, por exemplo, “Nesse caso, pode-se trocar apenas as torneiras por peças de design especial”, sugere a arquiteta Luzia Ralston, da Faz Arquitetura.

Seja qual for a etapa do processo, o jeito mais simples de evitar erros é contratar um profissional para fazer um projeto de interiores que considere as necessidades dos moradores e as soluções possíveis para cada ambiente, além de orientar a aquisição de materiais, equipamentos e acabamentos, resultando em uma o

  • 0
  • 800
Adrimar Construtora

A Adrimar está presente há de 30 anos no Litoral Sul de São Paulo. Suas realizações e diferenciais fazem com que seja reconhecida e consolidada por seus empreendimentos e serviços de alto padrão.